A tecnologia vem ganhando um espaço cada vez maior na nossa vida, principalmente no que diz respeito aos aplicativos de mensagens, inseridos no cotidiano das pessoas. Isso modifica nosso modo de comunicação, alcançando desde conversas particulares íntimas até processos de trabalho, incluindo a assistência à saúde que é necessário cuidados no atendimento médico via Whatsapp.

A relação médico-paciente via WhatsApp ainda gera muita polêmica, até mesmo pela complexidade que esse assunto traz. Porém, na tentativa de minimizar tal impacto, o CFM elaborou uma ementa no ano de 2017, com o objetivo de esclarecer e orientar a conduta médica.

Este aplicativo veio para estreitar as relações, melhorar o acompanhamento e a comunicação, sendo uma ferramenta importante no diálogo entre médico e paciente. Porém, muitas vezes foge do bom senso, no sentido de não respeitar horários, nem a intimidade do outro. Vale ressaltar que alguns problemas devem ser resolvidos unicamente de maneira presencial, principalmente quando se fala em questões de saúde, onde a vida do paciente pode estar em risco.

De acordo com o parecer do CFM de nº 14/2017, o Whatsapp e outras plataformas de comunicação podem ser utilizados para:

– Que pacientes enviem dados ou informações pontuais;

– Esclarecimentos de dúvidas dos pacientes;

– Discussões entre especialistas, desde que em grupos privados, garantindo a confidencialidade das informações.

Cuidados essenciais no atendimento via whatsapp

Alguns cuidados precisam ser tomados pelo profissional, principalmente no que tange a intimidade e privacidade dos dados enviados pelo paciente. Além disso, as informações dadas via Whatsapp pelo médico precisam ser limitadas, visando respeitar o que foi imposto pelo CFM.

Ainda assim, precisa-se colocar em prática a cautela, pois esse meio de comunicação pode ser utilizado para avisar atrasos, orientações simples, agendamentos e avaliação de exames de pacientes, já atendidos em situações pontuais e de menor complexidade.

Vale ressaltar também que, diferente da comunicação via telefone, com o WhatsApp o paciente pode apagar mensagens ou ocultar determinadas informações, o que pode servir como prova para a tomada de decisão judicial, podendo ser favorável ao paciente. Para evitar que isso ocorra, é essencial que os médicos realizem backups de suas conversas e as armazenem, para que tais arquivos sirvam de defesa futuramente.

Como o médico deve se portar?

Quanto à conduta médica, deve-se tomar especiais cuidados no atendimento médico via Whatsapp prestado, visto que algumas situações não podem ser tratadas via plataforma, e em caso de erros ou equívocos, estes também podem servir de prova Judicial futuramente.

Além disso, consultar um advogado para melhor entendimento das informações e atendimentos que podem ser prestados é uma boa opção para evitar problemas judiciais futuros.

Em muitos casos, a alegação de urgência ou dificuldade de deslocamento, para atendimento não pode justificar uma consulta virtual. Nestas situações, o médico pode orientar o paciente e/ou justificar-se da maneira adequada.

O WhatsApp ainda pode ser visto como um meio de quebra de sigilo, uma vez que exponha pacientes, exames, vídeos e discussões, através de grupos de trabalho, o que acarreta responsabilidade ao médico, mesmo que não ocorra erro. Por esse motivo, é necessário sempre cautela e buscar meios de resguardar-se e, caso haja necessidade do uso desse meio de comunicação, que seja feito sempre com equilíbrio, bom senso e racionalidade. Dentre as medidas que podem ser adotadas, destaca-se:

– Preservar o nome do paciente, ocultando-o ao enviar imagens de exames;

– Ao enviar fotos, ocultar a face do indivíduo;

– Em hipótese alguma passar tais informações a grupos leigos;

– Realizar backups das conversas para evitar montagens e/ou outros

problemas.

Estas medidas, além de preservar a privacidade e dados confidenciais do paciente, também estarão protegendo você, médico, de problemas judiciais futuros.

Dica Bônus: Atendimento Facilitado

Embora haja todas estas questões e cuidados no atendimento médico via Whatsapp, ele pode ser adotado como maneira de facilitar o dia a dia da clínica médica ou mesmo dos atendimentos realizados pelo profissional. Para isso, aposte em:

1) Mensagens prontas, no sentido de diminuir o tempo gasto ao responder mensagens, além de orientar o paciente sobre o que pode ser enviado pelo aplicativo e o que precisa de atendimento presencial.

2) Lembretes e recados aos pacientes sobre agendamentos, o que pode minimizar a taxa de ausência nas consultas.

3) Whatsapp unicamente profissional, com horários estabelecidos para atendimento, no sentido de evitar a sobrecarga e o excesso de trabalho.

Outra maneira de minimizar os impactos que possam advir de condutas médicas, é contratando um seguro com ampla cobertura. Sediada em Porto Alegre, a Genebra Seguros oferece diferentes tipos de seguros, sendo o de responsabilidade civil de maior abrangência, com coberturas para profissionais autônomos como médicos, advogados, engenheiros, contadores, entre outros profissionais.

Quer saber mais sobre o seguro de responsabilidade civil para profissionais de saúde? Entre em contato pelo telefone (51) 3237-7210 ou pelo e-mail: seguros@genebraseguros.com.br.